Qualidade na Análise Técnica

USO DO BLOG

Minha foto
* imagens: clicar com o lado direito do mouse e abrir em nova aba ou nova página* * comentários por e-mail: jghit@centroin.com.br

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Corretoras internacionais, final do dia

Apesar de algumas mudanças de postura na hora final, o saldo de compras líquidas para o dia chegou a + R$ 150 MM; destaques nas compras, Citibank + 103 e Merrill Lynch +79 e destaques nas vendas Morgan Stanley -53 e Hedging Griffo - 34.

Fechamento (futuro)


Apoiado em Vale e Petrobrás, o índice esteve em alta nas primeiras horas, apesar da maioria das ações apresentar acomodação; o ajuste veio vindo e precipitou-se na hora final, que levou a um fechamento na mínima, cortando para baixo as linhas de stop móvel. O volume voltou a ser bem pequeno. Os indicadores cederam apenas no final, o que deixa o mercado indefinido apara amanhã, talvez com uma abertura ainda fraca e reação posterior.

Corretoras internacionais, às 13:46 h

Na venda, praticamente apenas a Morgan Stanley (- 62, Vale5, Itau4, Petr4), os demais na compra (Citi + 77), deixando um saldo líquido comprador de + R$ 110 MM.

Abertura

Depois de mais um dia firme, os futuros americanos operam com leves baixas até agora (em torno de 0,3%), em cima de alguns resultados corporativos menos favoráveis. No Japão, um relatório pessimista do próprio Governo fez o Nikkei225 recuar 0,98%. Na Europa, as blue chips vão se mantendo firmes, com pequena alta de 0,2% (Stoxx50) e o Banco Central Europeu, bem como o da Inglaterra, mantiveram os juros básicos estáveis. O petróleo subiu um pouco, por conta de problemas com oleoduto na Turquia e o níquel está tendo alta espetacular de 5% no mercado spot, por conta de menor suprimento de grande empresa russa. Por aqui, o repique prosseguiu, ainda sem um grande volume. As corretora internacionais parecem ter ficado sem grandes ordens, limitando a um giro modesto e relativamente neutro. A Vale apresentou um balancete acima do esperado, procurando em seu relatório educar o público investidor para a diferença entre a contabilização em moldes internacionais e a nossa, que deverão convergir bastante a partir do ano que vem. Além de alta no limite logo no after-market local, o ADR subiu também bastante no after market americano. O p/l nacional ficou pelos 9 e o dolarizado em torno de 7. No pré-pregão, o Fut. Agosto vai ganhando 0,7% com bom movimento.

Arquivo do blog