Qualidade na Análise Técnica

USO DO BLOG

Minha foto
* imagens: clicar com o lado direito do mouse e abrir em nova aba ou nova página* * comentários por e-mail: jghit@centroin.com.br

sábado, 24 de agosto de 2019

Indicadores Gerais do Mercado

Ibovespa semanal dolarizado

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível, ainda com as mesmas dificuldades, a Edição 879, com "O destino do dólar" (assunto da semana e comentário técnico, além de algumas verdades e mentiras e boatos.

Ibovespa horário (60 minutos)

A tentativa de repique esbarrou na média móvel de 200 barras e cedeu; os indicadores recuaram ao meio das escalas.

Abertura

Os mercados voltam a enfraquecer com notícias de novas medidas da China na guerra comercial, agora há pouco: no Japão, o Nikkei225 ganhou 0,40, na Europa, o Stoxx50 avança 0,44%, e o futuro do S&P500 cai 0,37%, até agora. Os juros sobem, o dólar está mais fraco e o ouro sobe e o petróleo cai. Por aqui, tivemos baixa, com volume abaixo da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 78 mil para 79 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 124 mil para 127 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em baixa de 0,71%.

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Ibovespa horário (60 minutos)

O Ibovespa faz novo esforço para engrenar um repique, aproximando-se da média móvel de 200 barras, que segue caindo; na demora, os indicadores já esticaram.

Abertura

Os mercados estabilizaram: no Japão, o Nikkei225 ganhou 0,05%, na Europa, o Stoxx50 avança 0,02%, e o futuro do S&P500 sobe 0,14%, até agora. Os juros sobem, o dólar está firme e o ouro cai e o petróleo sobe. Por aqui, tivemos forte repique, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 80 mil para 78 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 123 mil para 124 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em baixa de 0,26%.

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Ibovespa horário (60 minutos)

Continua o teste do forte suporte na faixa dos 100 mil; a média móvel de 200 barras já virou para baixo e os repiques não se concretizam, apesar dos baixos valores dos indicadores.

Abertura

Os mercados seguem em consolidação:: no Japão, o Nikkei225 ainda perdeu 0,28%, mas na Europa, o Stoxx50 avança 1,23%, e o futuro do S&P500 sobe 0,69%, até agora. Os juros pararam de cair, o dólar está firme e o ouro cai e o petróleo sobe. Por aqui, tivemos leve baixa, com volume pouco abaixo da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 93 mil para 80 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 125 mil para 123 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em alta de 0,94%.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Ibovespa hortário (60 minutos)

Continua o teste do suporte na faixa dos 100 mil: muito volume e indefinição, mas um repique não consegue se sustentar, até agora.

Abertura

Os mercados estão relativamente calmos: no Japão, o Nikkei225 ganhou 0,55%, na Europa, o Stoxx50 avança 0,04%, e o futuro do S&P500 sobe 0,12%, até agora. Os juros pararam de cair, o dólar está firme e ouro e o petróleo estão na mesma. Por aqui, tivemos leve baixa, com volume acima da média de julho ( exercícios de opções: R$10,218 BB). A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 84 mil para 93 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 123 mil para 125 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em alta de 0,31%.

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Ibovespa horário (60 minutos)

O Ibovespa segue testando um forte suporte em torno dos 100 mil, com a média móvel de 200 virando para baixo e já ultrapassada levemente. Os indicadores estão em valores baixos, favorecendo um repique.

Abertura

,A semana começa com o prosseguimento do repique dos mercados, mesmo sem notícias positivas a comemorar:; no Japão,o Nikkei225 ganhou 0,71%, na Europa, o Stoxx50 avança 1,12%, e o futuro do S&P500 sobe 1,06%, até agora. Os juros pararam de cair, o dólar está firme e ouro cede um pouco e petróleo reage. Por aqui, tivemos alta na sexta-feira, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 89 mil para 84 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 132 mil para 123 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em forte repique de 0,91%.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível, ainda com as mesmas dificuldades, a Edição 878, com "A inversão da curva de juros" (assunto da semana e mais um "Contando as Ondas", na área de análise técnica, além de algumas verdades e mentiras e boatos.

Ibovespa horário (60 minutos)

O Ibovespa começou a testar um forte suporte, com os indicadores em valores mínimos sugerindo repique iminente; a linha da média móvel de 200 barras continua ficando achatada, aumentando a possibilidade de uma acomodação maior do índice.

Abertura

Os mercados vão se recompondo aos poucos: no Japão, o Nikkei225 ganhou 0,06%, na Europa, o Stoxx50 avança 1,21%, e o futuro do S&P500 sobe 0,84%, até agora. Os juros voltaram a ceder um pouco, o dólar está firme e ouro e petróleo estão na mesma. Por aqui, tivemos nova baixa, com volume acima da média de julho. As posições dos futuros ainda não foi atualiza. No pré pregão, o futuro Outubro opera em repique de 1,01%.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Abertura

Os mercados tentam se acalmar, após o pânico de vendas de ontem: no Japão, o Nikkei225 ainda perdeu 1,21%, mas na Europa, o Stoxx50 avança 0,04%, e o futuro do S&P500 sobe 0,54%, até agora. Os juros pararam de cair, o dólar está firme e ouro e petróleo cedem um pouco. Por aqui, tivemos forte baixa, com volume recorde, muito acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 88 mil para 89 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 96 mil para 132 mil contratos, No pré pregão, o futuro Outubro opera em forte repique de 1,76%.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Abertura

Os mercados voltam a ceder com temores de recessão, sinalizados com a inversão da curva de juros: taxas de curto prazo mais altas que as de longo prazo. No Japão, o Nikkei225 ainda ganhou 0,98%, mas na Europa, o Stoxx50 recua 1,71%, e o futuro do S&P500 cai 1,32%, até agora. Os juros ainda cedem, o dólar está ligeiramente mais forte e o ouro e o petróleo sobem uma fração. Por aqui, tivemos forte alta, com volume cima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 76 mil para 88 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 93 mil para 96 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em baixa de 1,62% (vencimento hoje).

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Abertura

Os mercados seguem preocupados com a situação em Hong Kong e na Argentina: no Japão, o Nikkei225 perdeu 1,11%, na Europa, o Stoxx50 recua 0,62%, e o futuro do S&P500 cai 0,28%, até agora. Os juros ainda cedem, o dólar está estável e o ouro e o petróleo sobem ligeiramente. Por aqui, tivemos forte baixa, com volume abaixo da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 64 mil para 76 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 91 mil para 93 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em baixa de 0,20%.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Abertura

A semana começa com os mercados mais fracos, sem novidades sobre a guerra comercial e sobre a temporada de resultados corporativos: no Japão, é feriado, na Europa, o Stoxx50 recua 0,32%, e o futuro do S&P500 cai 0,61%, até agora. Os juros voltam a ceder, o dólar perde para o yen e o ouro e o petróleo sobem ligeiramente. Por aqui, tivemos ligeira baixa na sexta-feira, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 73 mil para 64 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa ficou em 91 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em baixa de 1,45%, por conta das prévias na Argentina.

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível a Edição 877, ainda com certa dificuldade, com um artigo sobre a Guerra Comercial, outro sobre os mercados internacionais e alguns destaques da semana.

Abertura

Os mercados estão realizando lucros do repique recente, sem que existam novidades da guerra comercial: no Japão, o Nikkei225 ainda ganhou 0,44%, mas na Europa, o Stoxx50 recua 1,10%, e o futuro do S&P500 cai 0,54%, até agora. Os juros reagem ligeiramente, o dólar está firme, e o ouro e o petróleo sobem ligeiramente. Por aqui, tivemos alta, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 66 mil para 73 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 88 mil para 91 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em baixa de 0,39%.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Abertura

Os mercados seguem tentando consolidar o repique: no Japão, o Nikkei225 ganhou 0,33%, na Europa, o Stoxx50 avança 1,00%, e o futuro do S&P500 sobe 0,25%, até agora. Os juros reagem ligeiramente, o dólar está mais firme, o ouro cede um pouco e o petróleo cai. Por aqui, tivemos leve alta, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 53 mil para 66 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 89 mil para 88 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto em alta de 0,54%.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Futuro do Ibovespa

O futuro Agosto teve forte repique ontem, voltando a tocar na média móvel de 200 barras, parta novo teste. O volume foi de 177 mil cts e os indicadores esticaram um pouco. Hoje, a abertura vai sendo em ligeira alta.

Abertura

Os mercados tentam expandir o repique de ontem: no Japão, o Nikkei225 ainda perdeu 0,33%, mas na Europa, o Stoxx50 avança 1,27%, e o futuro do S&P500 sobe 0,22%, até agora. Os juros cedem mais um pouco, o dólar está mais firme, o ouro sobe e o petróleo cai. Por aqui, tivemos forte repique, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 45 mil para 53 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 91 mil para 89 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em alta de 0,20%.

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Ibovespa horário (60 minutos)

Seguindo os mercados internacionais. o Ibovespa teve ontem forte baixa, afastando-se da média móvel de 200 barras. Com indicadores em valores mínimos, um repique deve acontecer (e já está ocorrendo no pré pregão), para um novo teste da média móvel.

Abertura

A China recuou em sua contra-manobra cambial e os mercados comemoram com um ensaio de repique: no Japão, o Nikkei225 ainda perdeu 0,65%, mas na Europa, o Stoxx50 avança 0,68%, e o futuro do S&P500 sobe 1,03%, até agora. Os juros cedem mais um pouco, o dólar volta a perder uma fração entre as moedas, o ouro sobe e o petróleo cai. Por aqui, tivemos forte baixa, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 55 mil para 45 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 99 mil para 91 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em alta de 1.09%.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Indicadores Gerais do Mercado

Ibovespa semanal dolarizado

Ibovespa histórico

Ibovespa horário (60 minutos)

O Ibovespa teve leve alta na sexta-feira, ainda testando a média móvel de 200 barras, com os osciladores perto do meio da escala.

Abertura

A semana começa com os mercados sob pressão vendedora, causada pela retaliação a Chin às ameaças de tarifação americanas, deixando sua moeda se desvalorizar: no Japão, o Nikkei225 perdeu 1,74%, na Europa, o Stoxx50 recua 1,73%, e o futuro do S&P500 cai 1,43%, até agora. Os juros cedem ainda mais, o dólar perde uma fração entre as moedas, o ouro sobe e o petróleo cai. Por aqui, tivemos ligeira alta na sexta-feira, com volume acima da média de julho. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 5 mil para 55 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa passou de 104 mil para 99 mil contratos, No pré pregão, o futuro Agosto opera em forte baixa de 1,50%.

sábado, 3 de agosto de 2019

Explicação

As matérias anteriores deste dia 3 de agosto, fariam parte da Edição 876 do Verdades&Mentiras no formato habitual, que está sendo revisto, daí esta divulgação "diferente"...

Investidores não residentes

É verdade que os investidores estrangeiros venderam muito em julho (R$ 6,532 BB)servindo a todas as demais categorias (destaques os institucionais R$ 4,191 BB e as pessoas físicas R$ 2,718 BB). Ao mesmo tempo, os não residentes expandiram sua posição vendida no futuro do índice até 104 mil contratos, como hedge, quantidade há muito não vista. Ou seja, confiam na venda, desconfiando...

Vale3 & Petr4

Em acomodação: Os gráficos de VALE3 e de PETR4, retratando a evolução na atual Onda V do Ciclo, iniciada no começo de 2016, são bastante parecidos: uma longa e firme sub onda V,1 até o final de 2018 e uma acomodação de lá para cá, no que seria a sub onda V,2. Mais recentemente, então, a PETR4 parece mais firme do que a VALE3, talvez pela forte queda ocorrida em mao/junho de 2018, que poderia ter deixado o papel com menor pressão posterior de venda. Isso fica nítido no desenho descendente da VALE3 nos últimos meses, comparado com o ascendente da PETR4 no mesmo período, justamente quando ocorreu a tragédia de Brumadinho. Na teoria, a evolução mais provável nos próximos meses, seria a de uma segunda perna de baixa para ambos os papéis, dentro do padrão clássico das acomodações (duas pernas de baixa, entremeadas por um repique intermediário). Uma justificativa para tanto seria o proceder habitual dos mercados: passar a vendedor com a aprovação provável da Reforma da Previdência, mesmo com o prosseguimento de bons desempenhos operacionais das empresas, num movimento do Princípio do Contrário. A alternativa é que esse quadro ocorra mais adiante, precedido por topos acima dos atuais, esticando a sub onda V,1.

O trimestral da Petrobrás

Itens especiais positivos: Normalmente surpreendendo o mercado com ajustes e provisões negativas, que reduzem o resultado final, neste trimestre a Petrobrás teve seu lucro líquido inflado principalmente pelo produto da venda da TAG, sua distribuidora de gás: desconsiderando-se os efeitos dos itens não recorrentes, o lucro líquido recuaria dos R$ 18,8 BB para R$ 5,2 BB... Para o próximo trimestre, já há uma estimativa de um ganho de capital de R$ 14,2 BB com a venda de ações da BR Distribuidora. No período em exame, houve alguma elevação dos preços internacionais e aumento de produção de óleo, que produzirão efeitos no 3º trimestre; houve ganho de margens, apesar da valorização do dólar no período. Em mais um mês consecutivo de fluxo de caixa positivo, a companhia reduziu sua dívida líquida para US$ 83,7 BB (menos US$ 11,9 BB em relação ao 1ºtrimestre do ano); o índice dívida líquida/LTM EBITDA ajustado caiu para 2,52x em relação a 2,89x do início do período. Também por conta desse fluxo, o Conselho de Administração aprovou a antecipação de juros sobre o capital próprio no valor de R$ 2,6 BB ou R$ 0,20 por ação. Está firme a perspectiva de que a performance da Petrobrás siga o perfil deste trimestre no futuro próximo, ainda com eventos importantes por vir, como a continuação da venda de ativos e o grande leilão do pré sal, previsto para outubro. O mercado começa a imaginar se a fase das surpresas negativas possa ter terminado...

O trimestral da Vale

Novo prejuízo A Vale teve um segundo trimestre consecutivo de perdas; o prejuízo líquido alcançou R$ 384 milhões no 2T19, principalmente como resultado de provisões adicionais relacionadas: a) à ruptura da barragem de Brumadinho (R$ 5,9 bilhões); (b) ao descomissionamento da barragem de Germano (R$ 993 milhões); (c) à Fundação Renova (R$ 1,477 bilhão). A reparação dos prejuízos causados pelo acidente em Brumadinho parece estar razoavelmente encaminhada, mas é assunto para ainda ser visto com cautela. A receita líquida cresceu em relação ao trimestre anterior e a igual período de 2018, o mesmo acontecendo com o resultado bruto e, descontadas as provisões especiais, o desempenho foi semelhante ao do 3º trim de 2018, com lucro perto dos R$ 6 bilhões. Sendo assim, a companhia estaria gerando um lucro líquido recorrente de cerca de R$ 23 bilhões/ano e o p/l corrente estaria muito baixo, em torno de 4,35. Essa baixa precificação estaria justificada pelo risco de novas provisões, que por sua vez, está em declínio. No trimestre encerrado em junho agora, a dívida bruta totalizou US$ 15,79 bilhões, tendo sido reduzida em cerca de US$ 1,26 bilhão num desempenho favorável dadas as circunstâncias. Não deixa de ser um testemunho de bom desempenho operacional, levando em conta ainda que houve condições climáticas adversas à produção (chuvas no sistema Norte) e uma conjuntura de fraqueza na economia interna e mesmo na externa, ainda que os preços internacionais tenham se mantido, até mesmo por conta do acidente em Brumadinho e por suas eventuais possíveis consequências na produção da Vale.

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Ibovespa horário (60 minutos)

Em dia de grande movimento e muita especulação, o Ibovespa fechou em ligeira alta, mas sem conseguir romper a média móvel de 200 barras que, por sua vez, começa a achatar, sugerindo possível retomada da acomodação do mês passado.

Abertura

Os mercados estão agitados com um novo round da guerra comercial dos americanos com a China: no Japão, o Nikkei225 perdeu 2,11%, na Europa, o Stoxx50 recua 2,50%, enquanto o futuro do S&P500 cai apenas 0,33%, até agora. Os juros cedem bastante, o dólar perde uma fração entre as moedas, o ouro sobe e o petróleo cai. Por aqui, tivemos ligeira alta, com volume acima da média de julho, que foi de R$ 16,723 BB. A posição compradora dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de 99 mil para apenas 5 mil contratos. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa ficou em 104 mil contratos, No pré pregão, o futuro Junho opera em baixa de 0,40%.

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Retomada das publicações

Ainda sem a regularização dos sinais de ligação com a Bovespa, vou retomando aos poucos as publicações, na medida do possível.

Ibovespa horário

O Ibovespa esteve em baixa ontem, com grande volume, continuando a acomodação iniciada nos primeiros dias de julho e mantendo-se pouco abaixo da média móvel de 200 barras. Os indicadores estão em valores muito baixos o que sugere um repique, mas a figura geral sinaliza a possibilidade de uma queda maior.

Abertura

Os mercados estão digerindo a decisão do FED de reduzir os juros básicos: a primeira reação foi negativa, mas agora ensaia-se um repique: no Japão, o Nikkei225 ainda ganhou 0.09% (mas na Ásia, predominaram baixas), na Europa, o Stoxx50 avança 0,49% e o futuro do S&P500 sobe 0,12%, até agora. Os juros cedem, o dólar ganha muito sobre o euro, o petróleo e o ouro cedem. Por aqui, tivemos baixa, com volume acima da média de junho. A posição dos investidores estrangeiros no futuro do dólar passou de compradora em 60 mil para vendedora em 99 mil contratos, numa surpreendente virada de mês. A posição vendedora dos investidores estrangeiros no futuro do Ibovespa ficou em 108 mil contratos, No pré pregão, o futuro Junho opera em repique de 0,14%.

Arquivo do blog