Qualidade na Análise Técnica

USO DO BLOG

Minha foto
* imagens: clicar com o lado direito do mouse e abrir em nova aba ou nova página* * comentários por e-mail: jghit@centroin.com.br

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Futuro do Ibovespa


O índice abriu e operou em alta até o início da tarde e depois se acomodu, para fechar praticamente zeradoi O volume chegou a 81 mil cts e os indicadores fizeram o mesmo que a cotação, para cima e para baixo. Mercado indefinido.

Corretoras internacionais (final do dia)

Com volume geral um pouco melhor, o grupo esteve mais na venda, com saldos vendedores de -R$ 219 MM (Hedging Griffo -71), enquanto que os parcos saldos compradores não passaram de +R$ 47 MM, restando um saldo vendedor de -R$ 172 MM.

Abertura

Ontem, houve um módico repique dos mercados, seguindo-se ao agora habitual “humor de ressaca” das segundas-feiras; hoje, a tendência parecia que iria prosseguir, mas algumas declarações isoladas de autoridades europeias trouxeram desconforto e por enquanto as cotações voltaram a baixar: no Japão, o Nikkei225 perdeu ),92%, na Europa, o Stoxx50 estabilizou, depois de operar em alta desde a abertura e nos Estados Unidos, o futuro do S&P500 está perdendo 0,8%, até o momento. O euro volta a cair e entre as comodities, apenas os produtos do agronegócios mostram firmeza, além do petróleo que vai beliscando os US$ 100/barril (WTI). Por aqui, a Bovespa fechou na segunda com leve baixa, com um dos menores volumes dos últimos tempos e pequeno saldo vendedor das corretoras internacionais. No aluguel de ações, os saldos de Petrobrás dispararam. A posição vendida dos investidores estrangeiros no futuro do índice passou de -54 para -49 mil contratos. A posição vendida dos não residentes no futuro de dólar passou de -19 para -17 mil contratos. No pré pregão, o futuro Dezembro opera em baixa de 0,3%.

Arquivo do blog