Qualidade na Análise Técnica

USO DO BLOG

Minha foto
* imagens: clicar com o lado direito do mouse e abrir em nova aba ou nova página* * comentários por e-mail: jghit@centroin.com.br

segunda-feira, 31 de março de 2008

Destaques do maior vendedor


Corretora Citibank (51), que nos últimos meses começa a adquirir um destaque maior:

Corretoras internacionais, às 15:35 h



O grupo está com saldo credor líquido, o único vendedor relevante é o Citibank.

Abertura

Na Ásia, análises divulgadas no fim de semana intranqüilizaram os investidores e os mercados estiveram fracos, no Japão o Nikkei225 teve forte queda de 2,3%, com destaque negativo pára o setor exportador. Na Europa, as blue chips operam em baixa mais moderada (Stoxx50 – 0,68%), puxadas pelas teles. Nos Estados Unidos, sexta-feira os índices estiveram fracos, mas o futuro do S&P500 vai operando agora em estabilidade. Por aqui, a Bovespa terminou a semana com um volume ainda mais baixo e pequenas baixas. Hoje, o Fut. Abril opera com levíssima queda de 0,2%, praticamente parado e quase sem negócios. O grupo Oi confirmou praticamente o noticiário sobre a aquisição da BRT, apenas negando que contratos já tenham sido celebrados. O mês vai terminando com cerca de R$ 3 bilhões de saldo comprador líquido dos estrangeiros, graças a compras em torno de R$ 1 bilhão na semana passada...

sábado, 29 de março de 2008

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível em Verdades e Mentiras da Bolsa , a Edição 384 desta carta semanal de investimentos, com os seguintes assuntos:

"Estratégias para carteiras", sobre os acontecimentos da semana;
"Elétricas", na seção de análise técnica.

Estão de volta o "Curso Avançado", em formato de consultoria e o "Curso de Introdução à Análise Técnica por e-mail". Relançada também a administração de carteiras (abril).

Ainda os boatos, verdades e mentiras e os destaques da semana (Bradespar pn, Vale pna e Cesp pnb).

sexta-feira, 28 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:00 h



Num dia de movimento geral ainda mais baixo, o grupo internacional está com pequeno saldo comprador líquido e o maior comprador é...Morgan Stanley.

Abertura

Os juros seguem subindo no mercado aberto americano e o dólar caindo entre as moedas, numa flutuação pouco coerente, que é atribuída a uma pressão vendedora nos títulos federais. Nas comodities, oscilações normais. Na Ásia, os mercados completaram a melhor semana do ano com alta, inclusive na China. No Japão, o Nikkei225 subiu 1,71%, apesar de notícias de aumento de inflação e do desemprego. Na Europa, as blue chips abriram em alta e agora operam com baixa de 0,4% e nos Estados Unidos, onde o dia foi fraco ontem, o futuro do S&P500 vai ganhando 0,5%, prosseguindo no atual processo de formação de um fundo. Por aqui, com volume fraco, a Bovespa teve o ajuste previsto, depois de quatro altas seguidas. No pré-pregão, o Fut. Abril sobe em torno de 0,6%, com poucos negócios. A Bradespar, por muitos considerada uma das melhores alternativas para investimentos, confirmou um excelente resultado em 2007, com um lucro superior a 40% sobre 2006 p/l 15).

quinta-feira, 27 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:00 h



Equilíbrio, num dia de movimento mais fraco, Credit Suisse vende e Hedging-Griffo, sua controlada, compra...

Abertura

Na Ásia, os mercados estiveram mais fracos hoje, talvez refletindo uma forte e inesperada queda na China, sem motivo especial aparente; no Japão, o Nikkei225 perdeu 0,80%. Na Europa, ao contrário, as blue chips estão firmes, com a continuação do repique do setor financeiro (Stoxx50 + 1,16%). Nos Estados Unidos, depois de um dia fraco, o futuro do S&P500 vai ganhando cerca de 0,3% até o momento. Juros, moedas e comodities estão mantendo os preços de ontem, de modo geral. Por aqui, com volume médio, a Bovespa teve bem mais baixas do que altas, mas os índices terminaram em alta (especialmente o IBrX50), com os ganhos de Vale e Petrobrás, novamente objeto de compras pelas corretoras internacionais, que mudaram de humor nesta semana, pelo menos por enquanto. Os pretextos foram os boatos desmentidos de nova descoberta de petróleo (divulgados no domingo, mas só lembrados a partir de terça-feira à tarde...) e a interrupção das negociações da Vale com a Xstrata. No pré-pregão, o Fut.Abril vai ganhando perto de 0,3%, com pouco movimento, na tentativa de uma quinta alta seguida, série que não tem sido freqüente.

quarta-feira, 26 de março de 2008

Possibilidade de rompimento



Há algum tempo em congestão, os indicadores da Gerdau (IFR e DCCI) deram um possível sinal de que o rompimento possa vir a ser rompido para cima.

Corretoras internacionais, às 13:40 h



Saldo líquido bem comprador, Credit Suisse, Santander (em Vale) e UBS Pactual puxando a fila, enquanto que Morgan Stanley volta a vender.

Abertura

Os juros dos títulos federais americanos continuam a subir (10 anos: 3,48% a.a.), mas desta vez isso não está impedindo nova queda do dólar entre as moedas. Isso está provocando baixas no Japão e na Europa, especialmente nos setores de exportação: o Nikkei225 perdeu 0,30% e o Stoxx50 das blue chips européias está cedendo até agora perto de 0,8%. Nos Estados Unidos, que teve ontem um dia estável para os índices, com destaque para o Nasdaq, o futuro do S&P500 está recuando perto de 0,3% até o momento. Por aqui, com volume pouco abaixo da média recente, a Bovespa voltou a ter um comportamento próprio, com boa alta descolada das influências dos mercados externos, liderada pela Petrobrás. Aparentemente, tivemos uma súbita mudança de humor nas corretoras internacionais, que tiveram saldo comprador líquido pela primeira vez em muitos dias. Tudo indica que a tendência prossiga hoje, em boa parte do pregão, já que o Fut. Abril apresenta ganho de 1,6% a esta altura do pré-pregão, com volume regular, mesmo que nada tenha ocorrido de especial.

terça-feira, 25 de março de 2008

Fundo duplo no S&P500



Como sempre , ampliar em outra página ou aba...

Corretoras internacionais, às 14:25 h



Apenas Pactual na Venda, os demais na compra, especialmente Credit Suisse, Citibank...e Morgan Stanley...

Abertura

O aumento da oferta do J.P.Morgan pelo controle do Bear Stearns ( de US$ 2 para US$ 10), ainda bastante controvertida, está gerando um forte repique nas cotações do setor financeiro em todo o mundo. No Japão, o Nikkei225 ganhou 2,12%, na Europa, as blue chips do Stoxx50 vão subindo incríveis 3,42% (depois do feriado prolongado) e nos Estados Unidos, onde a recuperação começou ontem com boa alta, o futuro do S&P500 está com ganhos mais modestos até o momento, em torno de 0,3%. Os juros subiram por lá, mas o dólar enfraqueceu frente ao euro, ensejando pequena reação dos preços de petróleo de dos metais preciosos, além de forte alta em outros metais, especialmente o níquel. Por aqui, novamente com volume bem abaixo da média recente, a Bovespa prosseguiu em alta, que chegou a passar de 3%, cedendo nas horas finais, na liquidação de daytrades. A linha de suporte em torno dos 59 mil continua válida. No pré-pregão, o Fut. Abril opera com alta de 1%, com volume pequeno.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:35 h


Saldo vendedor moderado, mas com Morgan Stanley e Merrill Lynch na compra.

Abertura

Mais uma vez, duraram pouco os sustos que estão ocorrendo freqüentemente nos mercados globais: a semana terminou mais firme em geral e recomeça mais animada. Na Europa, o feriado ainda estica nesta segunda-feira, mas na Ásia houve alta generalizada (ainda que no Japão, uma realização de lucros tenha levado o Nikkei225 a fechar com – 0,02%...), enquanto que nos Estados Unidos, o futuro do S&P500 vai ganhando perto de 0,9%. Com o feriado europeu, as comodities e as moedas vão mantendo estabilidade, até agora. Por aqui, a Bovespa teve um dia de consolidação na quinta-feira, ainda sob oferta pesada das corretoras internacionais, fechando com pequena alta. No pré-pregão, o Fut. Abril opera com pequena alta, estando a BM&F com problemas de comunicação.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível em Verdades e Mentiras da Bolsa , a Edição 383 desta carta semanal de investimentos, com os seguintes assuntos:

"A verdade sobre a derrubada", sobre os acontecimentos da semana;
"Siderúrgicas", na seção de análise técnica.

Estão de volta o "Curso Avançado", em formato de consultoria e o "Curso de Introdução à Análise Técnica por e-mail".

Ainda os boatos, verdades e mentiras e os destaques da semana (Petrobrás on, TAM S.A. e Vale on).

quinta-feira, 20 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:25 h


Morgan Stanley sempre liderando as vendas, hoje com companhia, valores menores do que ontem.

Abertura

Os mercados globais seguem bastante confusos: ontem, a queda de comodities que vinham tendo alta especulativa, como ouro e petróleo, se misturou com novos rumores sobre grandes bancos, transformando uma alta inicial em queda acelerada nos índices americanos, no final do dia. Hoje, curiosamente, os juros caíram bem no open market, mas o dólar teve forte repique entre as moedas, fazendo com que se acentuasse mais a queda de ouro e petróleo. No Japão, onde muitos imaginavam que seria um dia de queda forte, por conta de Wall Street, o Nikkei225 subiu 2,47%. Na Europa, as blue chips ainda apresentam queda em torno de 1% no momento (Stoxx50), enquanto que o futuro do S&P500 vai ganhando 0,5%. Por aqui, a Bovespa seguiu sendo alvo de um ataque especulativo por parte dos investidores estrangeiros, sempre com o destaque de uma das corretoras internacionais, ontem com a desculpa esfarrapada da queda das comodities (hoje, ridiculamente repetida em nossa mídia...) e teve uma das mais fortes baixas recentes. A Vale, que ontem anunciou reajuste de 86% em seus preços de pelotas e que aumentou o minério em até 71%, caiu quase 7%, como a Petrobrás, que com sua atual política de preços é favorecida pela queda do preço do barril...Sem falar em outras quedas, de empresas que não lidam com comodities...No pré-pregão, o Fut. Abril vai perdendo cerca de 0,8% com volume regular. A estupidez do mercado pode durar mais que as reservas dos investidores,. Então toda cautela é pouca.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:15 h


O Morgan Stanley vendendo (hoje, liquidando...) e praticamente todos os demais comprando.

Abertura

Depois de um dia de euforia com enormes repiques, os mercados globais operam mais calmos hoje, com o dólar reagindo um pouco entre as moedas e com um declínio nas cotações de ouro e petróleo, além de outras comodities. No Japão (e na Ásia em geral), houve a repercussão da alta nos mercados ocidentais (Nikkei225 + 2,47%), mas na Europa, as blue chips operam até agora em realização de lucros (Stoxx50 – 1,1%), enquanto que o futuro do S&P500 perde cerca de 0,5% nos Estados Unidos, até o momento. A decisão do Fed já estava precificada, o repique de ontem foi apenas uma resposta natural ao susto exagerado da véspera. Por aqui, a Bovespa recuperou as perdas de anteontem, mas hoje o Fut. Abril perde em torno de 0,5%, quase sem negócios. Ontem, foram notadas recompras por parte de algumas corretoras internacionais, cujo saldo acabou sendo comprador para o dia, por volta de R$ 90 MM. A Petrobrás esteve mais fraca do que outros papéis principais, como sendo alvo de intenso giro intraday, influindo na menor evolução do IBrX50. Entretanto, seu presidente e o Ministro das Minas e Energia admitiram pela primeira vez, que poderão aumentar os preços dos derivados.

terça-feira, 18 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:25 h



Ainda o Morgan Stanley liderando as vendas, na compra o destaque é o UBS Pactual.

Abertura

Como comentado ontem, ainda que freqüentes, os sustos do mercado duram pouco no curto prazo: os mercados estão em forte repique hoje. No Japão, o Nikkei225 ganhou 1,5%, o Stoxx50 das blue chips européias vai subindo 2,7% até agora, enquanto o futuro do S&P500 ganha 1,4% no momento. Ontem mesmo, os índices americanos mostraram alguma reação, depois de um pânico inicial. Juros e dólar seguem em baixa, e petróleo e ouro, entre outras comodities, estabilizaram em níveis altos, abaixo dos topos recentes. Por aqui, o Fut. Abril também vai ganhando pouco mais de 2%, com volume regular, depois de intensa derrubada feita ontem pelas corretoras internacionais, especialmente aquelas ligadas a matrizes que atravessam momentos delicados: o saldo vendedor ontem passou de R$ 600 MM líquidos, quase um terço do saldo do mês, que já beira R$ 2 bilhões...Mais uma vez, as aparentemente prudentes previsões sinistras feitas de manhã, não se confirmaram, entre outros motivos porque a primária, queiram ou não, ainda é de alta (e há quinze anos...).

segunda-feira, 17 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:45 h


Quase todos na venda, especialmente Morgan Stanley e Credit Suisse, saldo de R$ 560 MM vendedor, para um saldo acumulado em março, até dia 12, de cerca de R$ 2 bilhões, vendedor.

Abertura

A solução dos problemas de liquidez do Bear Stearns com sua aquisição pelo J.P.Morgan e medidas do Fed, tudo no fim de semana (redução da taxa de redesconto, abertura de linhas de crédito etc.), estão provocando pânico nos mercados globais, como se esses mercados preferissem uma quebradeira geral de proporções imprevisíveis. No Japão, o Nikkei225 caiu 3,71%, as blue chips européias vão recuando 3% até o momento, enquanto que os futuros americanos cedem em torno de 2,2%. Com isso, caem os juros americanos, cai o dólar entre as moedas e o petróleo e o ouro chegam a novos recordes. Como sempre, as lições não são absorvidas, a história se repete e o comportamento manada prevalece. Por aqui, o Fut. Abril também perde uns 3% no pré-pregão, com volume pequeno. Nos últimos episódios, os mercados têm repicado rapidamente dos seus ataques de nervos, com qualquer estímulo, então toda a prudência é recomendável.

sábado, 15 de março de 2008

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível em Verdades e Mentiras da Bolsa , a Edição 382 desta carta semanal de investimentos, com os seguintes assuntos:

"Anatomia de mais um susto", sobre os acontecimentos da semana;
"Grandes bancos", na seção de análise técnica.

Estão de volta o "Curso Avançado", em formato de consultoria e o "Curso de Introdução à Análise Técnica por e-mail".

Ainda os boatos, verdades e mentiras e os destaques da semana (BTW Varejo on, Eletrobrás pnb e Lojas Americanas pn).

sexta-feira, 14 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:00 h


Morgan Stanley segue pressionando a venda, aumentando o valor de ontem, até agora.. Na compra, destaque para o Deutsche Bank.

Abertura

Como previsto, os mercados tiveram forte repique ontem, depois de um queda exagerada com os problemas de um pequeno Fundo de renda fixa europeu. Uma das Agências de rating, no meio da tarde, estimou que o anúncio de prejuízos com a crise esteja perto do fim. Não estará longe o dia em que parte das provisões feitas começará a ser revertida, com a recuperação de parte dos créditos. No Japão, por conta da valorização do yen, o Nikkei225 acabou voltando a fechar em baixa, de 1,54%. Na Europa, as blue chips operam com leve alta de 0,2% (Stoxx50), com a relação cambial temperando o repique e com nova alta das mineradoras. Nos Estados Unidos, os futuros operam agora com alta de 0,2%, depois da forte recuperação de ontem. Por aqui, a Bovespa também recuperou a forte baixa inicial, ainda sob o peso das vendas dos estrangeiros (beirando os R$ 2 bilhões em nestas duas semanas de março). No pré-pregão, com poucos negócios, o Fut. Abril ganha cerca de 0,8%. A Embraer teve resultado regular no quarto trimestre (p/l 22), enquanto que a Cosan anunciou prejuízo no seu terceiro trimestre (findo em janeiro).

quinta-feira, 13 de março de 2008

Futuro intraday



O isolamento das primeiras barras de hoje entre gaps, forma a rara figura de ilha de reversão, teoricamente apontando para mais repique amanhã.

Corretoras internacionais, às 14:20 h



Morgan Stanley e Merrill Lynch destaques de venda, mas o grupo compra, reduzindo o saldo vendedor. Os valores são menores do que se poderia esperar para um dia de sustos.

Abertura

Problemas de caixa de um pequeno Fundo de renda fixa, cotado na Holanda (Carlyle Fund), fizeram disparar nova onda de pânico em todo mundo, derrubando as ações e o dólar, além dos juros americanos (10 anos: 3,40% a.a.). As notícias e os rumores são desencontrados e generalizam a desconfiança, com muita gente correndo para as comodities e pagando quaisquer preços, como se fossem uma garantia de segurança (petróleo WTI acima de US 110, ouro quase a US$ 1.000...). No Japão, o Nikkei225 perdeu 2,97%, na Europa, as blue chips vão perdendo cerca de 2,3% (Stoxx50) e os futuros americanos estão caindo em torno de 1,3% e já estiveram pior do que isso. Por aqui, a Bovespa teve um dia de consolidação ontem, cedendo um pouco apenas no final. Hoje, o Fut. Abril tem grande movimentação no pré-pregão e vai perdendo perto de 2,5%, logo após mais um dia de excelentes notícias sobre a economia brasileira. Essas histerias bruscas não duram muito e, ultimamente, têm sido ótimas oportunidades de compra.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:55 h



Poucos negócios e algum equilíbrio, na venda apenas a Morgan Stanley (pouco...).

Abertura

As autoridades monetárias internacionais tomaram medidas conjuntas ontem para assegurar a liquidez dos mercados de crédito, o que provocou um forte repique ontem nos mercados globais, tão exagerado como o pessimismo dos últimos dias. No Japão (Nikkei225 + 1,60%) e na Europa (Stoxx50 + 1,45%), o reflexo está sendo moderado pela fraqueza do dólar entre as moedas, enquanto que nos Estados Unidos, os futuros operam com levíssimas baixas. A futilidade dessas reações de curtíssimo prazo dão a alguns a impressão de que é possível “entender” essas bruscas variações, que na verdade são aleatórias, ainda que sujeitas às tendências principais de prazo mais longo. Por aqui, a Bovespa teve igualmente um forte repique, depois de três baixas seguidas, ainda que com volume apenas regular. Houve desespero entre os urubus de plantão, logo projetando terríveis efeitos pela perda desta ou daquela linha e complementando com sua “visão” sobre a economia americana, a partir de meias manchetes da mídia...As mesmas corretoras internacionais que andam apostando na venda, possivelmente pressionadas por resgates nas matrizes, persistiram na derrubada, mas foram enfrentadas por outras, o que diminuiu seu impacto. No pré-pregão, o Fut. Abril vai perdendo cerca de 0,5% quase sem negócios. Continuam a sair cifras macro-econômicas que indicam bom desempenho da economia, inclusive com a redução no ritmo da inflação, por todos os principais índices.

terça-feira, 11 de março de 2008

Futuro intraday


Fechou junto à máxima do dia, repicando numa antiga linha de suporte, depois de um início de divergência entre a cotação e os indicadores, na tarde de ontem.

Corretoras internacionais, às 15:15 h



Credit Suisse e Morgan Stanley ainda na venda, J.P.Morgan na compra, valores menores do que ontem.

Abertura

Depois de mais um dia de mau humor, os mercados globais estão hoje em pleno repique, como de hábito sem que nada de especial tenha ocorrido: no Japão, o Nikkei225 subiu 1,01%, na Europa, o Stoxx50 vai ganhando perto de 0,6% e os futuros americanos sobem perto de 0,5%, até o momento. Os juros estão na mesma, mas o dólar voltou a enfraquecer e com isso, muitas comodities compensam em preço: o petróleo vai passando de US$ 109 (WTI). Por aqui, a Bovespa chegou a uma terceira baixa consecutiva, sempre com volume mais fraco e pesadas vendas de duas grandes corretoras internacionais, mais de R$ 500 MM. No pré-pregão, temos um forte repique, com volume regular (Fut. Abril + 2,5%). A Sid. Nacional divulgou um quarto trimestre um pouco abaixo da média recente, mas terminou 2007 com grande expansão em relação ao lucro de 2006, um ano fraco (p/l 5,3). A inflação cresceu menos em fevereiro (IPCA + 0,48%).

segunda-feira, 10 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 14:50 hs



Forte pressão de vendas, puxada por Credit Suisse e Morgan Stanley.

Abertura

Embora nada de novo tenha ocorrido no fim de semana, amainou a surpreendente decepção dos mercados com a perda de empregos nos Estados Unidos, na sexta-feira (apesar de todos alegarem acreditar na existência de uma recessão, “esperavam” que houvesse aumento de empregos...). No Japão, a repercussão ainda foi naquele clima (Nikkei225 – 1,96%), mas na Europa e nos futuros americanos os mercados operam em torno da estabilidade ou com levíssimas altas, até agora. Os juros ainda estão caindo no mercado aberto, mas até o dólar reagiu um pouco. Por aqui, a Bovespa voltou a ter um dia fraco, melhorando um pouco no final, mas a abertura de hoje está ainda mostrando baixa no pré-pregão para o Fut. Abril (- 0,7%) também, com volume muito pequeno. As corretoras internacionais andam mais estranhas do que de hábito e têm dado a impressão de que estão sendo pressionadas, outra vez, a fazer caixa apressadamente, possivelmente por aumento nos pedidos de resgates dos Fundos que administram, recheados de ilíquidos papéis de lançamentos.

sábado, 8 de março de 2008

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível em Verdades e Mentiras da Bolsa , a Edição 381 desta carta semanal de investimentos, com os seguintes assuntos:

"Esquemas artificiais não se sustentam", sobre os acontecimentos da semana;
"Ibovespa histórico (pelo IGP-M)", na seção de análise técnica.

Estão de volta o "Curso Avançado", em formato de consultoria e o "Curso de Introdução à Análise Técnica por e-mail".

Ainda os boatos, verdades e mentiras e os destaques da semana (BTW Varejo on, Sadia S.A. pn e Gol pn).

sexta-feira, 7 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:05 h



Saldo vendedor, totais moderados.

Abertura

Ontem foi mais um dia de pessimismo nos mercados globais, com as Bolsas mais fracas, também o dólar e as comodities em alta. Hoje, a Ásia seguiu nesse clima, terminando mal uma semana ruim (Nikkei225 – 3,27%), a Europa ainda mostra as blue chips em baixa de 0,7% (Stoxx50), mas nos Estados Unidos os juros estão revertendo um repique de alta no mercado aberto e cedendo bastante, mantendo o dólar bem baixa e as comodities em alta. A diferença é que, pelo menos até agora, os futuros mostram um mercado mais comprador para as ações, subindo em torno de 0,3% até agora. Por aqui, a Bovespa teve um dia fraco também, com uma intensa troca de posições entre as corretoras internacionais, que terminou com um saldo vendedor líquido recorde de cerca de R$ 500 milhões, num dia de volume geral até mais fraco. No pré-pregão, o Fut.Abril (que vem operando com spread muito alto) está bastante movimentado, com forte pressão vendedora de duas corretoras , perdendo cerca de 1,4% até agora e oscilando nervosamente. Saíram resultados mais fracos da Cemig (p/l 9) e de Lojas Americanas (p/l 114...é isso mesmo!).

quinta-feira, 6 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:25 h



Grande pressão de venda, basicamente de Credit Suisse (PETR4, PETR3, VALE3).

Abertura

Os juros americanos continuam subindo no mercado aberto, mas o dólar volta a enfraquecer entre as moedas, exacerbando a alta generalizada das comodities, com o petróleo alcançando US$ 105 (WTI) e o ouro beirando os US$ 1.000. Percebendo novas quedas nos juros americanos para o curto prazo, o mercado parece estar correndo a se proteger com as comodities, já que a demanda global ainda não deu sinais de enfraquecer. São especulações de prazo curto, mas a tendência no momento é essa mesmo. No Japão, como em outras praças asiáticas, houve um forte repique técnico (Nikkei225 + 1,88%), mas na Europa, as blue chips do Stoxx50 perdem cerca de 0,7% até o momento, enquanto que nos Estados Unidos, os futuros recuam em torno de 0,5% até agora, depois de um dia fraco, com nova recuperação nervosa na hora final. Por aqui, a Bovespa segue bastante firme, se considerado o quadro global, com as corretoras internacionais se revezando em giros intraday ou de um dia para o outro, num mercado que está bem perto de seus topos recentes. No pré-pregão, o Fut.Abril perde em torno de 0,8% com poucos negócios, mas vem mantendo neste ano, um spread maior em relação ao à vista, em mais um sinal de pouco apetite para apostas na baixa de mais longo prazo (juntamente com a diminuição dos saldos em aberto, o mesmo que acontece com as opções e ainda com o saldo de ações alugadas).

quarta-feira, 5 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:20 h


A Credit Suisse passou para a compra, Morgan Stanley ainda um pouco na venda, onde os destaques são Merrill Lynch e UBS Pactual. O saldo é vendedor. (republicado, obrigado ao Ricardo).

Abertura

Nos Estados Unidos, os juros subiram um pouco no mercado aberto, desde o final da tarde de ontem, ao mesmo tempo em que os índices repicavam de baixas mais fortes durante todo o dia. O dólar melhorou um pouco e as comodities cederam. Hoje, os futuros vão operando com altas entre 0,5% e 0,8% e o curioso é que não houve nenhum motivo relevante nem para a queda nem para o repique, apenas movimentos nervosos dos investidores, ainda confusos. No Japão, o Nikkei225 caiu ligeiramente (-0,16%),. Enquanto que na Europa, o repique está sendo forte entre as blue chips (Stoxx50 + 1,66%). Por aqui, a Bovespa teve volume mais alto e acabou acompanhando o mau humor global, igualmente sem nenhuma razão mais forte, com fortes vendas de duas corretoras internacionais (cujas matrizes estão envolvidas em sérios prejuízos...). No pré-pregão, o Fut. Abril está com alta de 0,6% e tem movimentação média. Depois do grupo Gerdau, a JBS anunciou que vai captar um grande aumento de capital, também para financiar aquisições.

terça-feira, 4 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:45 h



A turma está pesada na venda, com destaque para Credit Suisse e Morgan Stanley. Os mesmos papéis de sempre, as principais...

Abertura

Em todo o mundo, os mercados de ações vão corrigindo um pouco dos ganhos que a maioria teve em fevereiro, ainda influenciados por perdas das instituições financeiras e por resultados negativos de algumas grandes companhias, especialmente no mundo ocidental. Além disso, a nova queda dos juros americanos no mercado aberto mexe com moedas e comodities, impedindo que o quadro geral forme um panorama coerente. No Japão, o mercado sossegou um pouco (Nikkei225 + 0,1%), mas na Europa (Stoxx50 – 1%) e nos Estados Unidos (queda ontem, com repique no final e futuros em baixa de 0,8% hoje), as Bolsas ainda estão pessimistas. Por aqui, a Bovespa operou com boa alta ontem, com volume um pouco menor, especialmente considerando a derrubada promovida em Petrobrás e Vale. Nitidamente especulativa, pois os principais operadores estiveram no giro, comprando e vendendo lotes parecidos... No pré-pregão, o Fut. Abril vai perdendo pouco mais de 0,8%, com poucos negócios até agora. A Petrobrás divulgou resultados dentro do esperado, ainda que muita gente confunda as cifras consolidadas com as da controladora. O relatório da Diretoria é bem mais otimista em relação às descobertas recentes e anunciou um desdobramento para o fim do mês (uma ação vira duas) e esses dois pontos devem influir positivamente no medio prazo.

segunda-feira, 3 de março de 2008

Corretoras internacionais, às 15:30 h



Pequeno saldo comprador para o grupo, destacando-se na compra Credit Suisse (PETR3, PETR4) e Morgan Stanley (PETR4, VALE5)

Abertura

A grande queda nos juros americanos no mercado aberto, segue enfraquecendo o dólar entre as moedas, o que está sendo compensado por alta na maioria das comodities. Hoje foi um dia de forte alta do yen frente ao dólar, gerando uma forte baixa em Tokio: o Nikkei225 perdeu 4,49%. Na Europa, o efeito é o mesmo, menos pronunciado: o Stoxx50 das blue chips está recuando perto de 1,6%. Nos Estados Unidos, a semana terminou com um pregão muito fraco, mas hoje os futuros vão operando com quedas modestas, em torno de 0,3%. Por aqui, a Bovespa completou acabou interrompendo sua longa série de altas com um forte recuo, acompanhando desta vez o pessimismo geral das Bolsas. No pré-pregão, o Fut. Abril teve poucos negócios até agora e apresenta leve baixa de 0,2%. De noite, a Petrobrás deve divulgar seus resultados do quarto trimestre, que se espera seja o melhor do ano, que esteve um pouco abaixo de 2006 até setembro, por motivos pontuais, especialmente a relação cambial.

sábado, 1 de março de 2008

Verdades e Mentiras da Bolsa

Já está disponível em Verdades e Mentiras da Bolsa a Edição 380 desta carta semanal de investimentos, com os seguintes assuntos:

"Resultados de Vale e Petrobrás", sobre os acontecimentos da semana;
"PETR4 e VALE5 no semanal", na seção de análise técnica.

Está de volta o "Curso Avançado", em formato de consultoria.

Ainda os boatos, verdades e mentiras e os destaques da semana (Gafisa on, Natura on e All América Lat units).

Arquivo do blog